Novela Escrita | Rebeldia - Capítulo 06



CENA 1 - INT. / CASA DE VERÃO DA FAMÍLIA ALBUQUERQUE/SALA DE ESTAR - DIA.

Ao mesmo tempo que Edmundo se aproxima, Carolina assustada se afasta.

CAROLINA (assustada): Como você entrou aqui?

EDMUNDO (irônico): Você precisa aprender a trancar a porta. Já pensou se alguém mal intencionado entra aqui?

CAROLINA (assustada): Se você não sair, eu vou chamar a polícia.

EDMUNDO: Você pode tentar chamar. Pode gritar também, eu adoro que gritem no meu ouvido! Chega mais perto! 

CAROLINA (cada vez mais assustada): O que você quer?

EDMUNDO: Você ainda não entendeu? 

CAROLINA (grita): Saia da minha casa! 

EDMUNDO: Isso é jeito de tratar uma visita?

Edmundo se apressa em direção a ela, ela corre para o segundo andar e ele vai atrás. O temporal fica cada vez mais feio. Carolina se tranca em seu quarto e tenta sem sucesso ligar para alguém. Edmundo começa a bater na porta, deixando-a cada vez mais apavorada.

EDMUNDO (em tom ameaçador): É sério que você quer pelo jeito mais difícil? Quando você faz as festinhas aqui, você não parece escolher muito quem deita na sua cama. 

CAROLINA (grita): Sai da minha casa! 

Carolina vai até a janela, mas é muito alto para pular. Ela a abre e observa a rua, mas está completamente vazia. Corta para:



CENA 2 - INT. / CASA DA FAMÍLIA NOGUEIRA/SALA DE ESTAR - DIA.

Pérola e Maria Aparecida estão sentadas enquanto Edgar desliga a televisão por conta do temporal.

MARIA APARECIDA: Será que esse menino já chegou? Eu sabia que não era uma boa ideia ele sair, agora nem os celulares estão pegando para a gente falar com ele.

EDGAR: Você fique calma! O nosso filho não é mais nenhuma criança, você precisa entender isso!

PÉROLA: Se fosse eu... 

EDGAR: Você quer lhe comparar com o seu irmão que tem dezessete anos? Você tem certeza que quer se comparar?

PÉROLA (irritada): Eu sei que não tenho a mesma idade que ele, mas para mim tudo é não. As garotas da minha idade...

EDGAR: Essas garotas são minhas filhas? Não! Então você pense duas vezes antes de querer se comparar com alguém. A sua hora vai chegar! Você não se preocupe que vai chegar!

Pérola levanta e vai para o quarto. Edgar senta ao lado da esposa.

MARIA APARECIDA: Se já não bastasse ter que aceitar que  meu filho é quase um adulto, agora é a nossa menina querendo bater asas.

EDGAR: O tempo passa... fazer o que né?!

Os dois riem e se beijam. Corta para:

CENA 3 - INT. / CASA DE VERÃO DA FAMÍLIA ALBUQUERQUE/QUARTO - DIA.

Carolina procura em suas coisas algo para se defender e acha um taco de beisebol. Ela amedrontada senta na cama enquanto o garoto continua batendo com força na porta.

EDMUNDO (cada vez mais irritado): Enquanto você se faz de difícil, eu lembro da última cena que tenho de você na minha cabeça. Você, aquele garoto que saiu e outra garota se beijando na última festa que teve. E eu lá de fora querendo participar. Eu estava louco. Só de pensar... delícia! Abre essa porta... abre essa porta enquanto eu estou sendo paciente com você.

CAROLINA: Você é nojento! 

EDMUNDO: E você é uma vagabunda! 

Quando termina a frase, o mesmo arromba a porta e Carolina se desespera. 

CAROLINA (levanta o taco de beisebol): Ou você se afasta ou eu acerto você!

Edmundo ri e fica encarando Carolina. Corta para:

CENA 4 - INT. / CASA DA FAMÍLIA ALBUQUERQUE/QUARTO - DIA.

Nádia tenta ligar para Carolina, mas não consegue sinal.

LEON: Você precisa se acalmar, ela deve estar bem.

NÁDIA (preocupada): Não sei... estou com um aperto aqui dentro! Os temporais na ilha são ainda piores do que aqui. Não sei o que tanto faz naquela casa!

LEON: O Gabriel foi com ela, ela não está sozinha.

Leon vai até Nádia e tenta tranquiliza-la. Corta para:

CENA 5 - INT. / CASA DE VERÃO DA FAMÍLIA ALBUQUERQUE/QUARTO - DIA.

Edmundo se aproxima de Carolina e a mesma tenta lhe acertar com o taco sem sucesso. Ele consegue pega-lo e agarra a garota contra a parede.

EDMUNDO: Eu falei para você não fugir de mim.

CAROLINA: O que eu fiz para você? 

EDMUNDO: Eu só vim lhe fazer companhia nesse dia chuvoso. Não adianta se fazer de santa, já falei que vi de longe as festinhas que faz aqui.

CAROLINA: Isso não lhe dá nenhum direito...

EDMUNDO (irritado): Cala a boca que agora eu quero me divertir!

Carolina acerta um chute no meio das pernas de Edmundo e corre para descer as escadas.

EDMUNDO (muito irritado): Você me paga!

Carolina chega na porta e ao se dar conta de que ela vai sair, Edmundo se apressa. Ao descer as escadas, ele se desequilibra e cai. Carolina se assusta com o barulho e se vira, ficando em choque com a cena de Edmundo desacordado no chão. Neste mesmo momento, alguém bate na porta. Corta para:

CENA 6 - INT. / ORFANATO/SALA DE VIVÊNCIA - DIA.

Willian está olhando pensativo pela janela, enquanto Lucas está deitado no sofá.

LUCAS: Ainda está chovendo?

WILLIAN: Bem pouco!

LUCAS: E o que faz aí parado olhando para o nada?

WILLIAN (senta perto do irmão): Você já parou para pensar se aquele casal nos adota?

LUCAS: Você ainda está pensando nisso? Você nem sabe se eles vão voltar.

WILLIAN: Porque você sempre se fecha quando vem alguém aqui nos visitar?

LUCAS: Eu sou o teu irmão mais velho e é a minha tarefa te mostrar a realidade. Se você acha que vai ser fácil alguém vir nos adotar, você pode ter certeza que não será.

WILLIAN: Eu sei que não será fácil, até porque já estamos aqui há anos. Mas tem algo dentro de mim que me faz manter essa fé acessa...

LUCAS: Eu queria ter essa mesma fé, mas ela já se apagou há muito tempo.

Lucas senta e olha bem nos olhos do irmão.

LUCAS: Sabe qual é o meu maior sonho?

WILLIAN: Qual?

LUCAS: Sair daqui e conseguir ser alguém na vida para poder te levar comigo. Eu tenho certeza que esse sonho está muito mais perto do que você imagina.

WILLIAN: Você vai sair daqui para onde? Debaixo da ponte?

LUCAS: Eu sei que eu vou conseguir me virar! 

Willian deita desanimado.

WILLIAN: Eu não sei o que vai ser da gente se o orfanato fechar.

LUCAS: Vai ficar tudo bem! No final, a gente sempre fica bem!

Os dois ficam pensativos. Corta para:

CENA 7 - INT. / CASA DE VERÃO DA FAMÍLIA ALBUQUERQUE/SALA DE ESTAR - DIA.

Carolina fica sem saber o que fazer e com medo não responde quem está batendo na porta. Carolina começa a chorar e senta no chão em choque.

CHARLES (batendo na porta): Tem alguém em casa? Carolina?

Carolina se levanta e abre a porta.

CHARLES (preocupado): Você está chorando? O que aconteceu?

Carolina não fala nada, abraça Charles e chora sem parar. Corta para:

FIM DO CAPÍTULO 06

Curtiram o capítulo? Deixe sua opinião nos comentários, ou em uma mensagem privada, temos também twitterfacebook... um escritor não é nada sem os leitores. Sua opinião é importante!

Postar um comentário

Copyright © Portal Comenta TV. Designed by OddThemes & SEO Wordpress Themes 2018