Novela Escrita | Enquanto a Cidade Dorme - Capítulo 09


PARTE 1

Casa de Teodoro e Helena – Quarto de Breno e Manoela

Manoela está arrumando suas roupas no guarda roupa enquanto Breno está mexendo em seu celular deitado na cama:


MANOELA: Por mim, essas roupas não saiam mais deste guarda-roupa.

BRENO: Por que diz isso?

MANOELA: Preferiria mil vezes viver aqui do que na nossa casa.

BRENO: Não seja radical Manoela, papai adora você!

MANOELA: Só ele.

BRENO: Sua mãe também te ama, Manoela. Ela só é um pouco estressada com a própria vida!

MANOELA: A Graziela não ama ninguém Breno, nem eu, nem você, nem o papai e muito menos ela!

BRENO: O importante é que você é querida por todos da família!

MANOELA: Menos pela minha própria mãe. Você tem ideia da falta que isso me faz? 

BRENO: Tenho! Tenho sim, porque eu também nunca tive uma mãe, a Graziela nunca me  tratou como filho, você sabe muito bem disso!

MANOELA: Eu sei! Vamos parar de falar sobre isso. Quero que você me conte tudo sobre essa tal garota que conheceu na praça!

Breno deixa o celular na cama e se levanta animado.

BRENO: Ela é linda Manoela, linda demais. Nunca encontrei, em toda minha vida, alguém com beleza tão cativante. E estou me referindo ao conjunto todo, ela é linda de todas as formas.

MANOELA (rindo): Acho que tenho um irmão apaixonado, é isso?

BRENO: Não sei se apaixonado é a palavra para esse momento, mas encantado com certeza! A gente combinou de se ver novamente! 

MANOELA: Mas quem é ela?

BRENO: Até agora o que eu sei, é que ela se chama Mariana.

PARTE 2

O dia amanhece – Casa de Tarcísio e Helena – cozinha

Tarcísio, Helena, Graziela e Murilo estão sentados tomando café da manhã – Helena mostra-se apressada:

TARCÍSIO: Você vai sair querida?

HELENA: Vou resolver uns detalhes com alguns clientes agora de manhã, já que por toda a tarde estarei envolvida com a festa da empresa!

TARCÍSIO: Faça isso! Não podemos deixar que nada dê errado a comemoração dos 50 anos da nossa empresa!

HELENA: Nada dará errado! Agora preciso ir!

Helena se levanta e sai. Graziela mostra-se intrigada:

GRAZIELA: Esses clientes que a Helena atende são daqui mesmo?

TARCÍSIO: Ao que parece sim. Não me misturo com os negócios dela, contando que ela não deixe de lucrar para a empresa, o que vem de fora, é totalmente dela!

MURILO: Mamãe está trabalhando demais! Mas é melhor vê-la assim, do que parada e insatisfeita! 

TARCÍSIO: Bom diz levantando-seagora vou para a empresa, nada pode dar errado lá no salão de festas hoje!

MURILO: Fique tranquilo meu pai, todo mundo está a mil por hora para que nada saia do controle!

PARTE 3

Casa de Fernando – Ele e Helena estão o quarto:

HELENA: Conversou com a Clara?

FERNANDO: Ela disse que volta no final deste mês. Foram anos e anos estudando longe de casa, como você vai fazer para escondê-la agora Helena?

HELENA: Não vou mais esconder minha filha. Ela saberá de tudo e terá um cargo na empresa!

FERNANDO: Como é que é?

HELENA: Não estou entendendo seu espanto Fernando? Aquela empresa também é sua!

FERNANDO: Eu não quero a nossa filha metida com aquele assassino!

HELENA: Ela ocupará um bom cargo na empresa que também é dela! E tenho certeza que apoiará toda a nossa decisão!

FERNANDO: Não sei se ela conseguirá absorver toda essa vida de mentiras que vivemos!

HELENA: Ela entenderá quando tudo estiver devidamente explicado!

FERNANDO: A empresa faz 50 anos hoje. Uma das maiores empresas de tecnologia deste país, que começou com uma tenda na varanda da minha casa para arrumar eletrodomésticos. Você se lembra muito bem. Olha tudo o que aconteceu. Eu não acredito que esperei 25 anos para me vingar daquele desgraçado!

HELENA: Nós esperamos o tempo necessário! Essa vingança não é mais judicial. É uma vingança de vida!

FERNANDO: Eu quero acabar com a vida dela Helena! Acabar!

HELENA: Hoje vou conseguir a gravação, o que você tanto quer saber! E então, o seu dia chegará!

Os dois se abraçam.

PARTE 4

Casa de Joaquim e Eliane – Quarto de Luana e Miguel

LUANA: Você passou a manhã toda calado, aconteceu alguma coisa Miguel?

MIGUEL: Aconteceu sim!

LUANA: O que ?

Miguel fica a frente de Luana e segura sua mão:

MIGUEL: Luana, eu amo muito você! Amo você do fundo do meu coração, como nunca amei outra pessoa em minha vida! Amo nossa filha, amo a vida que construímos juntos, amo cada detalhe da nossa história, mas preciso te fazer uma pergunta.

LUANA: Qual pergunta?

MIGUEL: Você me ama?

Luana fica sem fala por um tempo e abraça Miguel:

LUANA: Preciso responder mais alguma coisa?

MIGUEL: Sim! Precisa me dizer porque insiste em ver o Murilo, o que é que lhe prende a ele? Se o seu amor é meu, o que te prende a ele?

LUANA: O meu filho que perdi! O amor meu, que está com ele, é o amor de mãe, o mesmo amor que sinto por Mariana, o amor que ele não me deixou sentir e arrancou de mim naquela manhã em que beijou outra na minha frente. É por isso que preciso vê-lo. Somente por isso Miguel!

Eles se abraçam novamente.

PARTE 5

Na cozinha da casa de Joaquim e Eliane, Mariana conversa com a avó:

ELIANE: Então você arranjou um namoradinho, é isso?

MARIANA: Ele me convidou para ir a uma festa da família dele hoje!

ELIANE: E você quer ir?

MARIANA: Quero sim vó! Mas não quero que meus pais fiquem na minha cabeça!

ELIANE: E para isso servem as avós, não é mesmo? Pode ir minha filha, lhe darei cobertura! Só peço que tome cuidado com esse rapaz!

MARIANA: Pode deixar vó! Muito obrigado!

ELIANE: E qual é o nome dele?

MARIANA: Breno, ele se chama Breno! Ele é lindo vó, lindo de verdade.

Eliane por um momento faz alusão ao nome que Luana queria dar ao seu filho quando estava grávida. Por um momento, pensa em impedir a neta de ir à festa, por outro, pensa que seria muita coincidência o destino unir esses dois.

ELIANE: Aproveite ao máximo querida, e conheça bem esse rapaz.

MARIANA: Pode deixar vó, depois irei te contar tudo!

Mariana sai feliz da cozinha e Eliane pensa alto:

ELIANE: Será que é ele? Meu Deus do céu, porque é que o destino faria uma coisa dessas?

PARTE 6

Noite – Casa de Tarcísio e Helena – Os dois estão se arrumando no quarto –

Helena liga o gravador do seu celular e o coloca em cima da mesa de maquiagem. Ela penteia os cabelos enquanto Tarcísio arruma a gravata.

HELENA: 50 anos da empresa!

TARCÍSIO: Pois é! 50 anos, nem parece que já se passou tanto tempo.

HELENA: Você não sente nenhuma culpa, Tarcísio?

TARCÍSIO: Culpa? Pelo quê?

HELENA: Como pelo quê? Pelo seu irmão!

TARCÍSIO: Não vamos falar sobre isso!

HELENA: Pois saiba que eu me culpo todos os dias!

Tarcísio se aproxima da mulher:

TARCÍSIO: Você me prometeu naquela cachoeira que nunca mais tocaríamos nesse assunto. Porque é que agora, 25 anos depois, você está falando disso comigo?

HELENA: Porque para nós dois, comemorar esses 50 anos não é uma festa, é comemorar uma tragédia! Uma morte!

TARCÍSIO: Tudo o que aconteceu foi um acidente, Helena! Nós não temos culpa de nada, você precisa esquecer!

HELENA: Acidente? Você tem coragem de dizer que aquilo tudo foi um simples acidente?

TARCÍSIO: Foi sim! Foi assim que combinamos que seria, não foi? Um acidente!

HELENA: Eu sei! Combinamos assim, mas não aconteceu assim! E não tem um dia sequer, um aniversário desta empresa sequer, que eu não me lembre do Fernando!

TARCÍSIO: Fala baixo! Esse nome jamais pode ser ouvido por alguém Helena! Você está querendo botar a perder tudo o que conquistamos ao longo desses anos?

HELENA: Não quero botar nada a perder, só queria que você reconhecesse que o que fizemos foi errado!

TARCÍSIO: Nós fizemos o que era necessário Helena! Você me ajudou com o corpo, lembra? Ele nunca foi encontrado. Nunca. Não há provas, não há testemunhas. Só há eu e você.

HELENA: Ele era seu irmão!

TARCÍSIO: Ele era um canalha – diz aos gritos – um verdadeiro canalha que queria tudo para ele, que queria tudo do jeito dele! E não me arrependo de nada que fiz. Não me arrependo de ter atirado nele pelas costas, porque se eu não tivesse feito isso, ele teria feito. Então acabei com ele primeiro! E agora chega, não quero mais falar desse assunto. Vou descer que já estou pronto. O carro está nos esperando. Não demore!

Tarcísio sai do quarto. Helena vai até a mesa de maquiagem, desliga o aplicativo de gravação e sorri para o espelho. Ela pega o batom, passa. Pega sua bolsa em cima da cama, pega o celular, envia uma mensagem para Fernando.

PARTE 7

Casa de Fernando – Ele está dormindo no quarto. A câmera, em plano sequência, vai, do quarto para a sala, onde a porta se abre. Clara entra com sua mala.

CLARA: Pai? Mãe? Estão em casa?

Ela deixa a mala encostada no sofá, fecha a porta e continua buscando por alguém:

CLARA: Mãe? Você está em casa? Pai? Voltei antes, queria fazer uma surpresa para vocês. Que bom que vocês nunca trocaram a fechadura da porta.

Clara estranha ninguém lhe responder:

CLARA: Mãe? Pai?

O celular de Fernando que está em cima da estante, perto da televisão, apita. Clara o pega nas mãos.

CLARA: Uma mensagem da minha mãe.

No visor do celular, Clara lê: “Consegui meu amor. Ele confessou tudo. Consegui. Vamos nos vingar deste desgraçado. Estou indo para a festa da empresa. Me espere amanhã de manhã. Vamos comemorar juntos a nossa vitória. Te amo”.

FIM DO CAPÍTULO 09

CURTIU O CAPÍTULO? COMENTE!

Postar um comentário

Copyright © Portal Comenta TV. Designed by OddThemes & SEO Wordpress Themes 2018