Novela Escrita | Fruto da Imaginação - Último Capítulo



Delegado: Então é a senhora a autora do crime contra seu marido? Sente-se e conte como aconteceu.

Regina: Eu sabia que o Sérgio ia atrás dos meus filhos, do meu neto, do Antônio e até de mim para se vingar. Por que o Antônio iria fugir. E eu não queria que ele fizesse mais nenhum mal a minha família.

Delegado: E a senhora achou que dessa forma tudo se resolveria?

Regina: pelo menos meus filhos não correriam mais risco de vida. Senhor delegado, esse homem começou fazendo a gente sofrer há mais de 18 anos. E casou comigo na intenção de fazer mal a todos nós. Foi ele quem sabotou o carro do meu filho, para que ele morresse. Até do meu filho mais novo ele queria se vingar, comprando pessoas para o fazer infeliz. Tem noção de como é para uma mãe ver isso tudo? Eu prefiro sofrer a deixar que meus filhos sofram. Sei que fiz a coisa mais errada que poderia ter feito, mas quero a felicidade dos meus filhos. Que agora que reencontraram o pai deles vão poder curtir tudo o que o Sérgio não permitiu.

Delegado: Mediante a sua confissão. Vamos encerrar o caso. E a senhora ficará presa.

Regina chora

Casa de Bernardo  / Sala

Bernardo está chocado e começa a chorar com o que houve pelo telefone e começa a chorar

Leonardo: O que houve Bê? Aconteceu alguma coisa com a mamãe?

Bernardo: Léo… foi a mamãe quem matou o Sérgio. Ela se entregou, e está presa.

Maria e Leonardo parecem não acreditar

Leonardo: Meu Deus! A mamãe acabou com a vida dela. E agora?

Maria: Meninos, falem com o pai de vocês. Certamente ele tem um advogado que vai poder ajudar a mãe de vocês a sair da cadeia.

Bernardo: Vou ligar para o papai.

Casa de Antônio / Sala

Luiza: Então foi a Regina? Mas como ela fez isso?

Antônio: Não sei Luiza. Eles não sabem muita coisa. Só que ela confessou o crime. Agora vou ligar para o advogado. Meus filhos estão apavorados. A Regina, acabou não só com a vida do Sérgio. Com a dela também.

Luiza: Enquanto você fala com o advogado eu vou arrumando os documentos e exames para levar ao médico amanhã. E assim fazer logo essa cirurgia.

Antônio: E eu ficarei lá com você meu amor.

Antônio pega o telefone para ligar para o advogado

Outro dia

Hospital / Sala do médico

Médico: Bom dia Luiza. Chegou o grande dia. Está nervosa né?

Luiza: Muito doutor.

Médico: Fico muito feliz pela sua presença senhor Antônio. É muito importante a sua companhia durante todo o tratamento. Por isso vou explicar a vocês mais uma vez como funciona.

Antônio aperta a mão de Luiza demonstrando que está com ela nessa luta.

Médico: Essa cirurgia é indicada para qualquer tipo de tumor na mama, independentemente do tamanho que o tumor tenha, pois este tipo de tratamento remove as células cancerígenas, aumentando as chances de cura e facilitando o resto do tratamento. O que varia é o tipo de cirurgia, de acordo com o tamanho do tumor. Nos casos mais graves, quando o câncer está muito espalhado, é feita uma mastectomia radical, na qual a mama é retirada completamente.

Luiza se emociona.

MédicoQue não é o seu caso Luiza, graças a Deus. Sendo assim, iremos retirar somente a parte da mama onde se encontra o tumor, faremos uma mastectomia parcial. Depois disso pode ser que indique algumas sessões de radioterapia para eliminar células tumorais que podem não ter sido retiradas. Mas esse procedimento será indicado algumas semanas depois. Por que você precisará estar pois certamente alguns efeitos colaterais vão deixar você um pouco debilitada.

Luiza: Quais efeitos doutor?

Médico: Nada demais, minha querida. Geralmente fadiga, inchaço e alterações na pele. E algum outro, mas nada muito complicado.
Luiza está muito emocionada
Luiza: E meu cabelo? Com a radioterapia eu vou perder meu cabelo?
Médico: A radioterapia só afeta a área do corpo que o tumor está localizado. Vai poder manter esses lindos cabelos grandes Luiza.
Luiza e Antônio parecem aliviados. Uma enfermeira entra.
Enfermeira: Com licença… vamos nos preparar dona Luiza? Já está quase na hora da cirurgia.
Médico: Chegou a hora da vitória!
Luiza e Antônio se abraçam
Delegacia/sala de visitas
Regina: Me perdoe meu filho. Eu não queria que vocês sofressem mais. Pois eu sabia que o Sérgio ia se vingar.
Regina chora
Bernardo: E a senhora não acha que nós estamos sofrendo em ver a senhora aqui presa, mãe?
Regina: Desculpa Bernardo. Mas eu não tive outra escolha a não ser…
Um policial chega e interrompe os dois.
Policial: Acabou o tempo da visita.
Regina: E o Léo vem quando me ver? Ele está chateado comigo?
Bernardo: Não mãe. Ele estava vindo comigo, mas o Dani passou mal. A maluca da Daniele ligou apavorada para ele. Mas ele vem logo, logo aqui.
Bernardo abraça Regina emocionado. E depois sai, deixando a mãe aos prantos.
Casa de Leonardo / Sala
Leonardo chega em sua casa, mas Daniel não está passando mal como Daniele o falou e fica irritado.
Leonardo: Que palhaçada é essa Daniele? Fez eu vim aqui e o Daniel não está passando mal? Você sabia que eu estava indo visitar a minha mãe?
Daniele: Foi uma brincadeira meu amor. Eu estava com saudades. Aproveitei que o Daniel está na escola e queria ficar sozinha com você.
Neste momento Bia chega apressada pois enquanto Leonardo ia ver Daniel, ligou para a amiga para que ela fosse também. Já que ela conhece muito bem o filho
Bia: Oi gente! Como está o Dani?
Daniele: O que você está fazendo aqui Beatriz?
Leonardo: eu a chamei. Por que ninguém melhor que ela para saber o que o meu filho poderia estar assistindo.
Daniele aproveita a oportunidade para provocar Bia
Daniele: Então você fez uma pegadinha com a Bia, para ela vim até aqui e nos ver juntos? Que maldade Léo. Você não sabe que essa coisinha é caidinha por você?
Beatriz parece acreditar no que Daniele fala
Bia: Como assim?
Daniele: Eu e o pai do meu filho reatamos e estamos juntos novamente Bia.
Daniele se aproxima de Leonardo tentando o beijar, acreditando que ele vai corresponder. Léo a empurra sobre o sofá.
Leonardo: Você está maluca Daniele. Com você eu não quero nem amizade. A única coisa que nos une é o nosso filho. Eu sou e sempre fui apaixonado pela Bia.
Bia fica surpresa. Daniele parece humilhada
Leonardo: Quem vai nos ver juntos, agora é você.
Leonardo beija Bia que está sem entender nada. Daniele sai apresada, fingindo estar arrasada. Leonardo ri da situação
Leonardo: Que garota sem noção. Armar para ficar sozinha comigo. Como se eu fosse esquecer de tudo o que ela fez comigo e meu filho. Idiota, só falando assim.
Beatriz está sem graça. Um celular toca e Leonardo vê que Daniele esqueceu o aparelho carregando encima de uma mesa. Quando ele olha quem está ligando ele vê escrito Amor, e demonstra curiosidade.
Leonardo: Amor? Então essa pilantra tem um amor, e vem se fazendo de apaixonada.
Bia: Às vezes ela tem um outro cara, mas ainda te ama.
Leonardo: Vou descobrir isso agora… está ligando de novo.
Leonardo atende o celular
Leonardo: Alô!… quem está falando?
Começa o diálogo entre o policial que ligou e Leonardo:
Policial: Aqui é da polícia, e encontramos esse aparelho de celular e o último número registro de ligação foi para esse número. E queremos também questionar ao dono desse aparelho sobre algumas mensagens trocadas. É do senhor esse número?
Leonardo fica curioso
Leonardo: Não, é da mãe do meu filho. Mas sobre o que são essas mensagens?
Policial: Como faço para falar com a mãe do seu filho? Ela pode se complicar.
Leonardo: Ela deu uma saída. Mas onde o senhor encontrou esse aparelho?
Policial: Rapaz, como eu faço para encontrar a dona desse aparelho?
O celular desliga e Leonardo verifica que a bateria acabou. Beatriz está curiosa, pois percebe Leo tenso. Leo coloca o celular para carregar
Bia: O que houve Léo?
Leonardo: Era a polícia querendo falar com a Daniele. Falou umas coisas que acharam aquele celular e que precisavam interrogá-la sobre algumas mensagens trocadas
Bia: então olha as mensagens.
Leonardo: é isso mesmo que vou fazer.
Léo liga novamente o celular e vai na parte de mensagens e procura o contato amor.
Leonardo: vamos ver as mensagens desse “amor”.
Léo começa a ler e parece não estar entendendo
Leonardo: Aqui ela se refere ao amor, como Sérgio.
Léo continua lendo as mensagens e vai ficando mais surpreso. Bia está confusa
Leonardo: Meu Deus!!!
Bia: O que houve Léo?
Leonardo: Deixa eu verificar o número desse contato… não pode ser… 987543
Antes de acabar de ler o número do contato, Leo afirma que esse Sérgio é o seu padrasto
Leonardo: Bia, esse número é o do Sérgio. Eles tinham um caso…
Bia fica surpresa

Leonardo: E a última mensagem aqui dela para ele, ela diz que vai matá-lo, pois ele estava a ameaçando e deu uma surra nela.
Bia: Por isso aquele dia ela estava toda machucada, mas disse que havia sido atropelada por uma bicicleta.
Leonardo: Mas desde quando eles tinham um caso?
Neste momento Daniele volta pra buscar o celular, mas nota que ele está na mão de Léo e fica tensa
Daniele: eu vim buscar meu celular, que havia esquecido.
Leonardo: Desde quando você e o Sérgio eram amantes?
Daniele tenta disfarçar
Daniele: não estou entendendo sobre o que você está falando.
Leonardo: sua máscara caiu Daniele. Até a polícia já sabe do caso de vocês. Eles acharam o celular do Sérgio e já leram as mensagens que vocês trocavam. Inclusive a que você diz que vai matá-lo.
Neste momento Daniele fica apavorada
Daniele: Mas eu o matei em legítima defesa.
Leonardo e Bia ficam em choque com a revelação de Daniele, que nem percebe que falou demais
Leonardo: Você o que? Então foi você quem matou o Sérgio?
Daniele se apavora e neste momento Bia sem que ela perceba, tranca a porta
Daniele: Não, não… você entendeu errado.
Daniele corre para a porta na intenção de fugir, mas não consegue abrir. Leonardo corre e consegue segurá-la, que começa a se debater, querendo fugir
Leonardo: Daqui você não sai sua bandida! Bia, liga pra polícia. Retorna pro número que eles ligaram.
Bia corre para perto do celular e liga para a polícia.
Leonardo: Minha mãe confessou um crime que não cometeu, achando que eu ou meu irmão pudéssemos ser presos.
Daniele: Ela foi muito burra isso sim.
Leonardo num ato de raiva joga Daniele sobre o sofá
Leonardo: Por que você matou o Sérgio, garota? De onde vem essa história toda? Quem é você Daniele?
Daniele Ri ironicamente
Daniele: Quando eu engravidei do Dani, o Sérgio me pagou para que eu sumisse e deixasse ele com você, sozinho. Ele queria que seu filho sofresse como você sofreu. E com essa aproximação dele, acabamos os conhecendo melhor, se é que você me entende. E nos relacionávamos quando dava. Casei com uma outra pessoa nesse tempo, mas continuamos com nosso lance. Quando o seu pai voltou, ele ficou muito agressivo e irritado por que o grande terror da vida dele havia ressurgido e tudo que ele havia aprontado esses anos todos, não valeu de nada. O Antônio voltou mais poderoso, numa vida melhor do que a dele. E eu sabendo disso resolvi voltar, para abocanhar minha parte nessa grana toda, afinal eu sou a mãe do herdeiro. Com isso ele começou a me ameaçar e eu o chantageava dizendo que contaria toda a verdade. E toda vez que eu aparecia ele ficava louco, cheio de medo de que descobrissem tudo. Mas por burrice dele, as coisas se revelaram por si só e deu no que deu. Eu para não perder nada, disse que não o queria mais, pois eu reataria meu casamento com você. Ele me chamou num local escondido, muito escondido por sinal, dizendo que era para conversamos sobre como ficaria o nosso caso. E eu disposta a terminar tudo, ele me deu mais uma surra. Eu fiquei possessa e o ameacei. Já sabia onde poderia o encontrar. Mas sempre que voltava lá, percebia que tinham outros caras e quando seu pai ficou de refém dele eu notei que os caras que estavam com ele estavam encapuzados e num momento estratégico, eu vi que um dos 2 capangas havia ido estacionar o carro e fiquei esperando por ele lá dentro do galpão abandonado. Foi quando tirei o capuz ele me viu.
Durante a fala de Daniele, Bia percebe que a polícia chegou e abre a porta. O policial, ouve a confissão de Daniele.
Daniele: e antes que o capanga dele voltasse, eu disparei 3 tiros nele e fugi.
Leonardo está chocado
Leonardo: Você calculou isso tudo.
Daniele: Se eu não o mato, quem me mata é ele.
Policial: Bom, não ouvi a história toda. Mas não resta duvidas que a senhora é a assassina. Até por que temos muitas provas através das inúmeras mensagens trocadas pelo celular. E o mais importante, você confessou.
Daniele parece arrependida, mas ao mesmo tempo tranquila.
Daniele: Infelizmente já foi. Não tenho o que fazer. Mas eu sei que não ficarei muito tempo presa. A justiça nesse país é falha demais. É mais fácil um ladrão de galinha apodrecer lá do que as pessoas como eu que matam.
Daniele tem uma crise de riso.
Daniele: Vou ser presa, daqui a 2 meses viro pastora lá dentro. Arrumo um marido, e quando sair começo tudo de novo. Isso é Brasil.
O policial coloca as algemas em Daniele. Léo e Bia estão transtornados com a frieza dela. O carro da polícia sai com Daniele que olha para Léo e Bia rindo para eles.
Delegacia / sala de visitas
Regina: Meus filhos, fico tão envergonhada em ter que fazer vocês virem aqui.
Leonardo: E como a senhora está mamãe? Como estão te tratando?
Regina: Estou numa sala separada das demais, pois estou aguardando uns documentos e o advogado pediu até que saísse o habeas corpus. Hoje ainda é o segundo dia que estou aqui. Podem ficar tranquilos meus filhos. Eu estou bem. E vocês como estão? Me odiando, não é? Eu fiz tudo isso pensando em vocês meus meninos.
Regina começa a chorar
Regina: Não queria que sofressem mais.
Bernardo: é dona Regina. Não imaginávamos que você seria capaz disso. Embora sempre demonstrou que se fosse necessário faria tudo isso e muito mais.
Regina acha que ele está acusando ela.
Leonardo: Sem contar Bernardo que ela sempre encobriu os nossos erros para que aquele maridinho dela não soubesse. Sempre agindo sem pensar nela.
Regina chora, sentindo-se culpada
Regina: Por favor, me perdoem meus filhos. Eu sempre fiz tudo pensando em vocês somente.
Bernardo e Léo se emocionam
Bernardo: E por isso estamos aqui dona Regina. Para agradecer a senhora por todo esse amor demonstrado de forma incondicional. Com toda garra, com toda força.
Leonardo: Para agradecer mamãe, por que em nenhum momento precisou agir de forma errada para nos dar o melhor. Nunca julgando, mas sempre corrigindo os nossos erros. Casada, mas sempre sozinha. Cansada, mas sempre disposta. Sofrendo, mas sempre confiante. Uma verdadeira mulher, uma verdadeira mãe. Que não precisaria matar, pois sabia que aqueles a quem ela ensinou e mostrou o que é ter caráter não matariam também, mas para que não fossem injustiçados, assumiu toda a culpa. E mais uma vez não pensou nela, e sim naqueles a quem Deus deu a honra de serem chamados de seus filhos.
Regina: O que estão querendo dizer?
Bernardo: Nós já sabemos que a senhora não fez e não faria nenhum mal ao Sérgio e nem a ninguém dona Regina.
Regina fica surpresa
Leonardo: Vamos embora daqui coroa. A assassina do Sérgio, foi descoberta. O seu único crime, se isso pode se chamar de crime, é assumir uma culpa que não era sua.
Regina chora aliviada
Regina: E quem matou o Sérgio?
Bernardo: Vamos sair daqui Mãe. Depois falamos nisso. Mas antes, queremos te dar um abraço de amor, mãezinha.
Os três se abraçam emocionados
Casa de Leonardo / Sala
Léo entra em casa, e Bia está a sua espera
Leonardo: Que bom que está aqui Bia. Eu quero te agradecer pela ajuda hoje aqui com a Daniele. E por ter pego o Dani na escola. Te devo mais uma. Cadê meu filho?
Bia está séria
Bia: está dormindo. É bom por que eu preciso falar com você. Olha só, eu não gostei nenhum pouco de você ter me usado pra fazer ciúmes na Daniele!
Leonardo: Aqui foi proposital!
Bia: Eu não gostei! Não sou qualquer uma dessas que você sai beijando aí pelos bares.
Léo não deixa que ela termine de reclamar
Léo: Foi proposital para saber como a verdadeira mãe do meu filho beija. E por sinal beija muito bem!
Bia não entende
Leonardo: Beatriz, você é a mãe que eu quero para o meu filho. A minha companheira de longos anos, aquela que ajudou na criação do Dani e a quem ele tem como figura de mãe. Não adianta se fazer de desentendida. Por que eu sei que você sempre foi caidinha por mim.
Leonardo fala rindo e Bia se emociona
Bia: Você não ouse brincar comigo!
Leonardo: Eu nunca falei tão sério em minha vida Beatriz. Você é a mulher que eu escolhi, pode parecer louco eu estar dizendo isso do nada. Mas é por que desde que eu acordei, não tivemos tempo para isso. Então diante das testemunhas (olha e vê que não tem ninguém na sala e ri) Ih, estamos a sós. Então vamos de novo… diante do sofá, da televisão, da mesa, das paredes e de Deus, que está entre nós, eu quero declarar meu amor e gratidão por você e saber se você aceita se casar comigo.
Bia ri, mas derrama lágrimas de felicidades
Bia: é o que eu mais quero na vida.
Leonardo se aproxima e os dois se beijam apaixonados
Outro dia…
Universidade Futuro / sala de Antônio
Antônio está em sua sala e parece muito atarefado, mediante a toda a movimentação que foi sua vida nos últimos dias. Bernardo chega de surpresa
Bernardo: Bom dia Pai!
Antônio fica surpreso e se emociona
Antônio: Meu filho? Que surpresa maravilhosa.
Bernardo: Vim verificar se tem como conseguir minha bolsa de estudos novamente.
Antônio: A sua bolsa está garantida meu filhão. A universidade é sua Bernardo.
Bernardo: Mas serei um aluno como outro qualquer. E pelo visto, tem gente muito atarefada por aqui né?
Antônio: Muito meu filho… vários dias sem aparecer com frequência por aqui. E com essa ausência da Luiza, por causa do tratamento. Me perdi
Bernardo: Tem uma vaguinha para mim, então?
Antônio: Vou adorar passar todos os meus dias ao seu lado, meu filho querido e amado.
Os dois se abraçam emocionados
Alguns dias depois...

NARRAÇÃO:
Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.

Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.

(Eclesiastes 3:1-8)
Casa de Antônio / Sala
Regina, Léo, Bia, Bernardo, Maria, Daniel e Luiza estão na casa de Antônio aguardando ansiosos por ele
Luiza: eu tinha que ter ido com ele. Não estou aguentando de ansiedade. E ele que não liga
Regina: Se acalma Luiza, você ainda não pode ficar transitando muito por ai. Ele foi lá no advogado.
Bernardo: Confesso que também estou ansioso
Antônio entra e todos ficam curiosos
Luiza: Aí meu amor, que demora. E aí? O que o advogado disse?
Antônio: Então meu amor… Guarda aprovada! A Duda é nossa filha!
Todos parecem felizes
Daniel: e ela vai ser minha tia?
Léo: Isso meu filho. Você vai ter uma tia da sua idade.
Daniel: E quando ela vai vim pra morar aqui, vovô?
Antônio: Agora! Vem filha!!!
Duda entra correndo e dá um forte abraço em Luiza que chora. Toda a família está feliz
Universidade Futuro / Pátio
O pátio da Universidade vira cenário para a cerimônia e festa de casamento de Bernardo e Leonardo.
Helena: Nossa a decoração está um arraso.
Rafael: Está mesmo. Mas você também está arrasando meu amor!
Helena: Ai que lindo. Ih, eles gostaram do elogio. Se mexeram.
Rafael começa a falar com a barriga de Helena, conversando com os filhos
Rafael: Meus bebezinhos. Papai está muito ansioso para ver o rostinho de vocês. Saiam logo daí.
Helena demonstra alegria. Neste momento chegam Marcos e Sandra.
Sandra: Que cena mais linda.
Helena: Amiga! Que bom que vocês vieram.
Cumprimentam-se   
Rafael: Então vocês estão juntos mesmo?
Helena: E tu acha que prolongaram a temporada deles em Natal, só para comemorar a amizade?
Todos riem
Marcos: Estamos juntos sim Galera. Viemos ao Rio somente por causa do casamento e para pegar alguns documentos aqui na faculdade... além de se despedir da galera.
Helena: Como assim? Estão indo embora de vez?
Sandra: Sim amigos. Criamos um centro de reabilitação para dependentes químicos lá em natal. Infelizmente o número de pessoas viciadas é enorme. Não somente aqui no Rio, mas em muitos lugares e a realidade desse povo é muito triste. E nós criamos esse centro para poder ajudar nem que seja um pouquinho essas pessoas a se conscientizarem a sair dessa vida, que não leva a lugar nenhum, a não ser a morte.
Rafael: Estão de parabéns pela iniciativa. E o Diego, você tem notícia dele?
Sandra: ele está lá conosco. Não conseguiu sair dessa vida, e é um dos internos lá do centro. E nós esperamos vocês lá no nosso casamento. Mas, e vocês? Os gêmeos já têm nome?
Helena: Tem sim… Richard e Natália.
Rafael parece meio tenso.
Rafael: Natália… essa escolha foi da Helena. Esse nome parece de menina levada.
Todos riem. Allan presencia a festa de longe, e está triste
Allan: Dessa vez eu perdi, e feio.
Neste momento todos se posicionam e começa o casamento. Entram Daniel e Duda. Regina entra ao lado dos filhos. Antônio conduz Beatriz. Maria é conduzida pelo pai.
Bernardo: Eu, Bernardo, recebo você Maria como minha esposa e prometo ser fiel, amar-te e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida.
Maria: Eu, Maria, recebo você Bernardo por meu esposo e prometo também ser fiel, te amar e te respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida.
Leonardo: Minha Bia, você aceita ser minha esposa?
Bia: Sim, aceito. E você Léo aceita ser meu esposo?
Léo: Mil vezes sim. Eu te recebo Beatriz como esposa.
Bia: E prometo amar-te fielmente durante toda a minha vida.
Cada casal se beija e todos aplaudem e jogam e cai uma chova de pétalas de rosas. Luiza pega o microfone e começa a falar.
Luiza: Parabéns meus enteados queridos e lindos!
Todos reparam que Luiza está com o cabelo muito curto e estranham
Luiza: Não se preocupem queridos. Devem estar pensando que a radioterapia fez meus cabelos caírem. Mas podem ficar tranquilos, já acabei as sessões. Meu cabelo está assim super curto pois eu doei meu cabelo para confecção de perucas. Infelizmente, diferente de mim, muitas pessoas perdem seus cabelos durante o processo do tratamento do câncer. Eu sei como devem se sentir. Então galerinha, não espere passar por uma situação triste ou difícil na vida de vocês para poderem se colocar no lugar do outro. Tem sempre alguém precisando de você. E agora os nossos rapazes tem uma homenagem para alguém especial.
Leonardo e Bernardo se posicionam e pegam o microfone.
Leonardo: Primeiramente queremos dizer a nossas esposas que nós as amamos. Depois agradecer a presença de cada um de vocês e queremos que saibam que o fato de terem sido convidados para este dia especial para nós é por que são muito importantes e queridos.
Bernardo: Queremos também agradecer a uma guerreira que tanto fez e ainda faz por nós. Realmente não saberíamos que teria sido nossa vida se não estivesse conosco. Para o significado da palavra mãe, traduzimos você dona Regina. Te amamos.
Todos aplaudem. Regina abraça os filhos
Leonardo: E não poderíamos deixar de falar de uma pessoa super especial.
Bernardo: Alguém que Deus criou para que nós amassemos. Sei que foi Deus quem permitiu que essa história louca acontecesse. Para que pudéssemos dar valor as pessoas que temos perto. Só que a Vontade dele Deus é perfeita, boa e agradável e ele move céus e terra em nosso favor. Aos nossos olhos isso tudo que aconteceu, digamos que só acontece em novela, mas se realidade ou não, nós vivemos uma.
Leonardo: Solta o som Dj!
Léo e Bernardo começam a cantar de Fábio Junior:
Pai, pode ser que daqui a algum tempo haja tempo pra gente ser mais.
Muito mais que dois grandes amigos. Pai e filho talvez
Pai, pode ser que daí você sinta qualquer coisa entre esses vinte ou trinta longos anos em busca de paz…
Pai, pode crer eu estou bem eu vou indo, estou tentando vivendo e pedindo
Com loucura para você renascer…
Pai, Eu não faço questão de ser tudo. Só não quero e não vou ficar mudo para falar de amor para você
Pai, senta aqui que o jantar está na mesa. Fala um pouco tua voz está tão presa
Nos ensina esse jogo da vida. Onde a vida só paga para ver
Pai, me perdoa essa insegurança. É que eu não sou mais aquela criança
Que um dia morrendo de medo, nos teus braços você fez segredo
Nos teus passos você foi mais eu
Pai, eu cresci e não houve outro jeito. Quero só recostar no teu peito
Para pedir para você ir lá em casa, E brincar de vovô com meu filho
No tapete da sala de estar
Pai, você foi meu herói meu bandido. Hoje é mais muito mais que um amigo
Nem você nem ninguém está sozinho. Você faz parte desse caminho
Que hoje eu sigo em paz!

Antônio chora, Antônio abraça os filhos emocionados. Juntam-se para uma foto: Antônio, Luiza, Bernardo, Maria, Leonardo, Beatriz, Regina, Daniel e Duda.

Narração:
No fim tudo dá certo, e se não deu certo é porque ainda não chegou ao fim.
(Fernando Sabino)
A vida Continua...

FIM

Postar um comentário

Copyright © Portal Comenta TV. Designed by OddThemes & SEO Wordpress Themes 2018