Novela Escrita | Fruto da Imaginação - Capítulo 07



Hospital / Recepção

Bernardo (surpreso): O que você faz aqui?

Recepcionista: Em que posso ajudar senhor?

Bernardo: Com licença (passa a frente de Antônio que sai da sala) … meu irmão sofreu acidente de carro e deu entrada aqui nesse hospital.

Recepcionista: Seu irmão é o Leonardo?

Bernardo: Isso. Como ele está? O que houve?

Recepcionista: Se acalma senhor. Vem comigo, que vou levá-lo até ao médico. (saem)

Hospital / Corredor

Antônio (curioso): O que será que esse garoto faz aqui? Deve ter acontecido algo com alguém da família dele., mas prefiro evitar contato. (Pega o telefone e disca) … Oi amor… Como a Duda está? Melhorou depois do medicamento que o médico passou?… Que bom… daqui a pouco estou indo para casa. Só vou assinar uns documentos aqui para pagamento das despesas do rapaz… e vou pra casa. Beijos.

Casa de Antônio / Sala

Luiza (ao telefone): Beijos amor (desliga) Duda, você está melhor meu amor?

Duda: Estou sim tia.

Luiza: Que bom então. Amanhã vamos levar você de volta para o orfanato.

Duda: Tia Luiza, eu queria morar com você.

Luiza se emociona ao ouvir o que Duda diz.

Luiza (emocionada): Também queremos muito que você fique com a gente minha lindinha. Vamos 
fazer o possível para isso acontecer está bem? Pode ficar tranquila. Em breve você voltará para cá e ficar pra sempre.

Luiza e Duda se abraçam

Hospital / Recepção

Bernardo: Mãe, Sérgio… o Léo estava dirigindo e atravessou o sinal, e ao desviar de um carro 
capotou várias vezes.

Regina se apavora ao saber o que aconteceu e Sergio, tenta acalmá-la

Regina: O meu filho vai morrer? Responde Bernardo. O meu filho vai morrer?

Sérgio (segurando-a pelo braço): Calma Regina se acalma.

Bernardo: Mãe ele está sendo avaliado pelos médicos. Mas se Deus quiser ele não morrer. Senta um pouco aí.

Sérgio: Você não prefere ir para casa Regina? Não temos o que fazer mesmo.

Regina: Não. Eu vou passar a noite aqui.

Bernardo: Deixa Sérgio. Pelo menos essa noite, vamos deixá-la por aqui.

Outro dia…

Casa de Antonio / Sala

Antônio: Hoje após a aula eu vou ao hospital, ta Luiza?

Luiza: Você não acha que está se envolvendo demais nisso Antônio? Você não é o culpado. Pelo contrário, nós quase que fomos vítimas desse louco que ultrapassou o sinal.

Antônio: Sim, Luiza. Mas acho que devo ajudar essa família, que certamente não tem condições de arcar com as despesas que vai gerar esse acidente. O rapaz está muito mal no hospital e ficará lá por vários dias.

Luiza: Se você se sente bem assim, eu te apoio. Antes de irmos pra universidade vamos deixar a 
Duda no orfanato?

Antônio: Tudo bem… ela já está pronta?

Luiza: Está sim, vou buscá-la no quarto (sai)

Pracinha

Diego não consegue mais controlar sua situação com os bandidos. E começa a ficar com medo do que pode acontecer.

Sandra: O que houve Diogo? Você me chamou aqui? Não vai pra faculdade de novo?

Diego (amedrontado): Sandra, você conhece os cara. Eles estão me ameaçando!

Sandra (surpresa): Mas você está devendo a eles?

Diego: Muito, Sandra. Eles vão me matar. Eu tenho certeza.

Sandra: Cara, você não pode dar mole por aí. Mas tenta arrumar essa grana para pagar. Por que você sabe que eles não vão deixar passar.

Diego: Sim, eu sei. Vou ter que continuar afastado da faculdade por enquanto.

Sandra: É melhor mesmo.

Casa de Rafael / Sala

Rafael chega em sua casa para buscar suas coisas, mas pensava que Helena estivesse na faculdade.

Rafael: Desculpe-me Helena, pensei que você já tivesse saído para a faculdade. Por isso que vim essa hora.

Helena: Sem problemas, me atrasei. Já deixei tudo separado no quartinho da bagunça.

Rafael: E você está bem?

Helena: Estou sim… estou saindo. Pode ficar à vontade aí.

Helena não dá muita atenção para Rafael que fica surpreso com a atitude fria com que ela o trata.

Rafael (surpreso): Nossa. Parece realmente que ela não está sentindo falta nenhuma. Mas bem-feito para mim. Sou um verdadeiro Idiota.

Hospital / Recepção

Bernardo: Meu Deus que sono…

Antônio chega ao Hospital e se depara novamente com Bernardo.

Antônio: Bernardo? Você aqui novamente?

Bernardo: Confesso que não queria estar aqui. E muito menos encontrar com você. Mas pelo visto, nós dois não estamos aqui por vontade própria, nem a passeio né?

Antônio: Pois é… eu vim ver como está o rapaz que atravessou o sinal vermelho e quase bateu em meu carro, mas consegui desviar e ele também.

Bernardo descobre que o acidente de qual Antônio fala, pode ser o mesmo que Leonardo sofreu. E se surpreende.

Bernardo (surpreso): Como é que é? Você quem provocou o acidente que quase matou meu irmão

Antônio se assusta e Bernardo além de surpreso, demonstra raiva ao descobrir o que aconteceu.

Bernardo: Não posso acreditar que você é o culpado… se bem que uma pessoa como você é capaz de qualquer coisa.

Antônio (nervoso): Escuta aqui rapaz. Quem atravessou o sinal vermelho foi ele.

Bernardo (gritando): Isso é o que você está dizendo. Agora quem…

Antônio não gosta das acusações de Bernardo e não deixa que ele continue falando.

Antônio: Abaixa a voz para falar comigo. Tenho idade para ser seu pai. E olha só, eu estou fazendo até demais em estar aqui, por que a vítima na história poderia ser eu e minha família. E pode ter certeza que eu não queria que seu irmão estivesse nessa situação.

Bernardo fica sem graça com o que acaba de ouvir, mas mantém a postura arrogante.

Bernardo: Mais uma vez o senhor querendo ferrar com minha vida.

Antônio: Deixa de ser mimado Bernardo. Não mistura as coisas.

Bernardo (com raiva): Você não manda em mim. E pra mim a culpa é sua sim.

Antônio: Você com a sua verdade e eu com a minha. Só acho que você deveria deixar de ser
orgulhoso e ser mais grato pois eu estou aqui fazendo mais que a minha obrigação.

Bernardo: Eu odeio você Antônio. E para mim você é o culpado sim.

Após dizer tudo o que disse, Bernardo Sai e Antônio pra não continuar a discussão, respira fundo e se acalma.

Antônio: Que rapaz marrento esse Bernardo.

Pracinha

Allan e Maria estão namorando na pracinha próximo a Universidade

Maria: Mas você já está indo embora?

Allan/Pedro: Sim Gatinha… tenho que corrigir alguns trabalhos, só vim mesmo pra te dar uns beijinhos.

Maria: Poxa, pensei que você iria ao cinema comigo.

Allan/Pedro: Não vai ser dessa vez Maria. Realmente estou bastante atarefado.

Maria: Ok… não é a primeira vez que você faz isso, mas eu entendo.

Allan/Pedro: É gata, você está se relacionando com um professor de Universidade, cheio de coisas para fazer. Realmente será um pouco difícil de nossas agendas baterem. Mas assim que possível daremos um jeito. Eu prometo! (a beija)

Maria: Promete?

Allan/Pedro: Sim, minha princesa... preciso ir agora. Amanhã nos vemos.

Os dois se beijam e Allan Sai

Maria: então tá né!

Restaurante

Allan chega ao Restaurante onde marcou um encontro com Carla. Uma menina que conheceu dentro de uma loja de departamentos. Se apresenta como Carlos e se diz ser um médico.

Allan/Carlos: Desculpe a demora princesa. Estava atendendo um último paciente.

Carla: Sem problemas, Carlos.

Allan/Carlos: Que bom… e você está bem?… esqueci seu nome.

Carla: Estou sim… me chamo Carla. Eu não esqueci o seu. Ou melhor não esqueci de você.

Allan/Carlos: Desde que te vi dentro daquela loja eu já me encantei. Só fico preocupado pois não nos conhecemos direito. Pensei até que você não fosse aparecer.

Carla: Jamais. Eu não tenho essa preocupação Carlos. Não devo nada a ninguém.

Allan/Carlos: Se você não se importa… Eu menos ainda.

Carla: Que bom Dr. Carlos. Quando esquecer meu nome, é só lembrar do feminino do seu.

Os dois riem e Allan chega próximo a Carla

Allan: Acho que não te esquecerei mais

Se beijam

Rua

Sandra: Aí que bom que você veio Diego. Os caras perguntaram por você e eu disse que faz tempo que não te vejo. Quase me prenderam lá em cima achando que eu tinha informações sua. Cara, eles disseram que você está devendo uma grana pra eles. Eles querem te pegar.

Diego (tenso): Estou com muito medo Sandra… Ainda não consegui levantar o dinheiro todo que estou devendo. Mas tive de pegar o celular da minha mãe e vou tentar fazer uns rolo pra juntar essa grana.

Sandra: Cara, não precisava chegar a esse ponto. Olha eu, estou limpinha com essas paradas. Quando vejo que não dá para usar, eu nem subo. Fico com vontade, mas consigo me controlar.

Diego: Eu não roubei Sandra. Assim que der eu devolvo para ela. Tenho certeza que ela prefere perder o celular do que o filho. Tenho que ir Sandra. Não posso ficar dando mole por aí.

Diego Sai, preocupado para que ninguém o veja.

Sandra: Louco… tinha que ser mais esperto, como eu.

Hospital / Recepção

Regina: Pode ir pra casa Bernardo. Eu já fui, já dei uma descansada. Você está aqui desde ontem.

Bernardo: Ah mãe, vou mesmo. Estou com uma dor de cabeça enorme.

Regina: então… vai, o Sérgio está por aqui também, foi à cantina, e vai ficar aqui comigo. Amanhã você volta. Pode ficar tranquilo.

Bernardo: Tudo bem então mãe. Depois não conversamos. Pois eu acabei discutindo aqui hoje, mas agora não estou com cabeça para falar sobre isso não

Regina: Tudo bem… pode ir, vou ficar bem. Tem comida pronta, caso você queira jantar.

Bernardo: Beleza. Benção!!!

Bernardo se despede da mãe com um beijo e sai

Regina: Deus te abençoe. Vai com Deus. Se Deus quiser não ficaremos por muito tempo aqui no hospital.

Regina segue em direção ao corredor, a procura de Sérgio.

Regina: Onde será que tem um cafezinho por aqui?

Paciente: Ali próximo a recepção da emergência tem senhora.

Regina: Obrigada querida!

Regina vai até a emergência

Hospital / Recepção de emergência.

Quando Regina chega a recepção ela vê Antônio e os dois se olham assustados.


FIM DO CAPÍTULO 07

CURTIU O CAPÍTULO? COMENTE!

Postar um comentário

Copyright © Portal Comenta TV. Designed by OddThemes & SEO Wordpress Themes 2018