Novela Escrita | Fruto da Imaginação - Capítulo 03


Casa de Leonardo

Ninguém esperava que a discussão chegasse ao ponto de Leonardo expulsar Sérgio de sua casa.

Regina (assustada): O que é isso Leonardo? Você não pode fazer isso.

Sérgio: Claro que pode Regina… Seu filho está na casa dele! Eu quem não deveria ter vindo até aqui. Mas vamos embora. O incêndio já foi contido. Com licença.

Sérgio sai rapidamente da casa de Leonardo, com muita raiva do que aconteceu. E Regina mais uma vez não sabe de qual lado ficar. E com isso fica muito triste.

Regina: Desnecessária essa situação. Vou embora também (sai)

Bernardo: Nossa que climão… Esse cara não presta!

Leonardo (aliviado): Acho que falei e ouvi demais hoje. Realmente esse cara não gosta da gente!

Bernardo: Léo, vai tomar banho, vai deitar… Eu passo a noite aqui com vocês. Amanhã cedo eu vou pra casa, pois tenho que resolver sobre a minha matricula na faculdade.

Leonardo: Beleza… To indo… Boa noite Mano. Boa noite filho. (sai)

Daniel: boa noite pai.

Bernardo: E você vai escovar seus dentes pra deitar rapazinho.

Daniel: Tio, meu pai não fez por mal né?

Bernardo: Claro que não Dani, ele perdeu a hora.

Daniel: O meu paizinho é tudo pra mim… Ainda bem que ele gosta de mim… Tio, o senhor não conhece seu pai?

Bernardo: Isso meu lindo… seu avô foi embora quando a sua vó ainda estava grávida de mim. E ninguém sabe o que aconteceu. Simplesmente desapareceu.

Daniel: Meu pai diz que ele era muito legal… que eles brincavam muito.

Bernardo: É... seu pai ainda curtiu ele até os 7 anos… ele era mais ou menos da sua idade quando o pai sumiu. E depois nunca mais deu sinal de vida.

Daniel: Será que ele parecia mais com o papai ou com você?

Bernardo (dá um sorriso): Não sei Dani… Sua avó não fala dele, e seu pai lembra pouco de como ele era. E as fotos que ele tinha, na hora da mágoa sua vó rasgou e queimou todas. Então não imagino como ele seja. Não conheço nossos parentes por parte dele, pois morávamos no interior e desde que viemos para o Rio perdemos o contato.

Daniel: o senhor gostaria de ter conhecido ele?

Como sempre Bernardo, mais uma vez, se emociona ao falar sobre a historia do pai.

Bernardo: Sabe que não sei, Dani… As vezes sim, outras não. Acho que dependeria de saber o porque ele se foi… Se me odiava antes mesmo de eu nascer, se tinha outra família, ou até mesmo se morreu…

Antes que começasse a chorar, Bernardo se levanta e muda de assunto.

Bernardo: Vamos pra cama Daniel!!! Primeiro escovar os dentes e depois vamos dormir.

Daniel: Pode deixar que eu sei escovar os dentes sozinho.

Daniel vai apressado para o banheiro, para chegar logo e não deixar que seu tio escove os seus dentes. Bernardo continua emocionado e aproveita que Daniel foi sozinho e senta-se novamente no sofá.

Bernardo: Pois é paizinho… onde será que você anda? Qual será o motivo que o fez ter essa atitude covarde, abandonar mulher e filhos… Será que algum dia saberei qual destino você tomou?

Meses depois

Rio de Janeiro, 18/05/2017

Universidade Futuro / Pátio

A galera já esta bem entrosada na universidade. Estudantes do 1º período de Ciências Contábeis. Porém um pouco preocupados com as primeiras notas.

Maria: Eu tenho certeza de que fiquei fora da média nessa matéria gente. Não é possível. Tinha dúvidas em quase todas as questões.

Helena: Calma amiga, nós fizemos o trabalho. Então já temos uns pontinhos garantidos.

Rafael: O pior é que eu nem fiz esse trabalho. Tenho que contar só com a nota dessa prova.

Maria: Aff, vamos aguardar o resultado… Gente o Diego e a Sandra não vieram hoje né?

Helena: eles não vieram nenhum dia essa semana. E hoje já é quarta-feira. Não fizeram nenhuma prova.

Bernardo: Nossa, será que aconteceu alguma coisa?

Rafael: Já sabemos o que aconteceu né galera?! Inconseqüentes.

Bernardo: Eu não posso sonhar em perder prova… ou ficar reprovado. Senão adeus bolsa.

Maria: o problema deles é que já estão perdendo muita coisa… inclusive dinheiro, pois os pais deles pagam mensalidade integral.

Bernardo: Galera, isso é mais grave do que a gente imagina.

Enquanto a galera está reunida comentando sobre a situação complicada em que Diego e Sandra se encontram, chega Allan, o professor de Contabilidade.

Allan: Ola pessoal… e ai foram bem na minha prova?

Helena: Então professor, era justamente disso que falávamos… Sobre a sua prova e a desastrosa nota que provavelmente levaremos.

Allan (surpreso): Mas por que? não estudaram?

Maria: Até que sim, mas sabe como é né? Nem sempre nos saímos como precisamos. Então acho que precisaremos de uma ajudinha de alguém sangue bom, influente, bonito, charmoso como o senhor.

Allan: Esta tentando me comprar Maria? Gostei dos elogios, mas não contam na hora da correção da prova. Sinto muito.

Helena: Poxa, professor! Então leva em consideração que somos bons alunos, não faltamos, que gostamos do senhor… digo das suas aulas.

Allan: Muito bom saber que gostam das minhas aulas, Helena. Sinal de que prestaram muita atenção e que se surgiram algumas dúvidas, tiraram durante minhas aulas. Com isso estou vendo que todos devem ter tirado 10. Desde já parabéns, galera!!! Fui (sai)

Rafael: Droga!!! Estou frito.

Maria: Ai gente, até que ele é um gatinho não acham?
    
Bernardo demonstra insatisfação diante do comentário de Maria.

Bernardo: Nada a ver Maria… o assunto é outro.

Maria: Com ele qualquer assunto vale Bernardo

Bernardo: Está misturando as coisas já.

Bernardo e Maria quase discutem, e Maria continua sem perceber que Bernardo está morrendo de ciúmes.

Helena: Ihhhhh… vou ao banheiro antes de voltar para a sala. (Helena sai)

Maria: Não estou misturando nada Bernardo. Aula é aula… mas posso elogiar o Allan.

Rafael: Vamos pra sala Bê?

Bernardo: Vamos Rafa.

Maria: Só um minuto Bernardo… pode indo Rafa, que quero falar uma coisa com o Bernardo

Rafael: Beleza (Rafael sai)

Bernardo: Não vai querer discutir né?

Maria: Não… só me responde uma coisa!

Bernardo fica curioso.

Bernardo: O que?

Maria: Quero que seja sincero. Essa sua crise com meu comentário sobre o professor Allan, é por que você gosta de mim?

Bernardo demonstra surpresa com a indagação de Maria.

Bernardo: Não estou te entendendo Maria… Que crise? Só acho que está misturando as coisas. Cuidado que você pode se machucar.

Maria: Que isso Bernardo… só elogiei o cara. Nada além disso.

Bernardo: Tudo bem. Quem sou eu para querer interferir na sua forma de tratar as pessoas.

Maria: Mas a pergunta que te fiz, você não respondeu.

Bernardo: E o que mudaria se a minha resposta fosse sim?

Maria: Não responda com outra pergunta.

Bernardo: Sim Maria. Eu realmente gosto de você e senti ciúmes de seus comentários sobre o professor Allan.

Dessa vez quem fica sem reação é a Maria, pois embora desconfiasse não imaginaria que Bernardo responderia, ainda mais dessa forma.

Maria: Nossa Bernardo, não sei nem o que dizer. Eu não esperava essa sua resposta. Mas você sabe que entre nós só amizade né? Por que para te ser sincera, eu gosto do Allan.

Bernardo: Maria eu não estou te pedindo nada. Você me fez uma pergunta e exigiu resposta.

Maria: Pois é… acabei criando uma situação constrangedora.

Bernardo percebe que não tem chances com Maria. E para não ouvir nada que possa o fazer ficar ainda mais triste, decide mudar de assunto.

Bernardo: Vamos pra sala Maria, já estamos atrasados.

Maria: Vamos.

Os dois saem em direção à sala de aula

Universidade Futuro / Sala do Antônio

Antonio: Acho que vamos levar uns meses até conseguirmos nos adaptar a algumas coisas por aqui.

Luiza: Certamente meu amor. Quando você assumiu, o semestre já havia começado então o planejamento para este período já estava concluído.

Antonio: O bom é que até o meio do ano vou poder observar tudo o que o pessoal está colocando em prática para poder aprender e atuar no segundo semestre.

Luiza: eu vi que aqui tem um número expressivo de bolsistas.

Antonio: sim, sim… teremos que ver isso também. Pra avaliar se vale a pena manter.

Luiza: Mudando de assunto… quando vamos voltar ao orfanato?

Antonio: Minha princesa, deixa as coisas se ajustarem por aqui e pensamos nisso.

Luiza: ainda não entendi por que você reluta tanto quando falamos em filhos.

Antonio: Não é isso Luiza… Simplesmente nunca despertou isso em mim. E eu já te contei a minha história, acho que tenho certo trauma, sabe? Mas por você eu farei essa adoção, não te disse?

Luiza: Eu sei Antonio, eu te entendo, é por que já estamos há algum tempo na fila de adoção e se na hora que acontecer você não se decidir, perderemos a oportunidade.

Antonio: Prometo que não perderemos essa oportunidade meu amor. Terei que excluir esse medo da minha vida. (Luiza beija Antonio)

Casa de Rafael e Helena / Sala
       
Rafael chega em casa depois de um dia cansativo. Porém há algum tempo, não tem andado animado.

Rafael: Boa noite amor!

Helena: Oi meu gato! Que carinha de desanimo. Ta cansado?

Rafael: é… hoje o dia foi tenso. Trabalhar a tarde e parte da noite está puxado. Mas faz parte né?

Helena: Vou esquentar a janta.

Rafael: Não Helena… Não quero jantar não. Vou tomar um banho e deitar.

Helena demonstra preocupação

Helena: Tem certeza? Vai dormir com fome?

Rafael: Não estou com fome. Pode ficar tranquila.

Rafael levanta e sai sem se despedir .

Helena: No mínimo se estressou no trabalho, mas amanhã converso com ele.

Casa de Rafael e Helena / banheiro

Rafael entra no banheiro e senta no chão, chorando.

Casa de Bernardo / Sala

Desde que ocorreu a confusão entre Sérgio e seus filhos, Regina tem andado triste, pois Leonardo tem evitado aparecer em sua casa.

Regina: Tô sentindo falta do Daniel!

Sérgio: E por que ele não vem aqui mais? Espero que a culpa não seja minha.

Regina: Com certeza o Leonardo não vai pisar aqui tão cedo.

Sérgio: Olha... pode dizer a ele que não tem problema vim aqui não. Já passou!

Regina: Tem certeza Sérgio?

Sérgio: Regina, você é minha esposa e eles são seus filhos. Não foi a primeira vez que nos desentendemos. E tem mais, quem não gosta de mim são eles.

Regina: É… mas deixa ele quieto. Na hora que ele sentir falta ele aparece.

Sérgio: E você vai ficar ai quietinha e triste pelos cantos. Vamos fazer o seguinte. Vamos marcar um jantar aqui em casa em comemoração à entrada do Bernardo na faculdade. Assim ele não terá motivos para não aparecer. Se ele questionar que já se passaram meses que o Bernardo entrou na faculdade, você diz que agora que deu para preparar esse jantar, só pra termos um pretexto para ele aparecer. Ou inventa ou desculpa. Pra mim ele pode aparecer a hora que ele quiser.

Por essa Regina não esperava. Mas fica muito feliz com a noticia e a autorização de Sérgio.

Regina: Nossa Sérgio, que gesto bonito. Obrigada mesmo, meu amor. Vou falar com o Bernardo e ele concordando, falo com o Leonardo!

Regina sai da sala muito feliz.

Sérgio: Ai ai ai, Leonardo. Vou dar o troco na mesma moeda. Só esperava uma oportunidade como essa para poder retribuir o carinho.

Dias depois…

Casa de Bernardo / Sala

Desde que foi marcado o jantar de “comemoração” da entrada de Bernardo na Universidade, Regina esta super empolgada com a possível reconciliação de seu esposo com seus filhos. Eis que chega o grande dia.

Regina: Tava morrendo de saudades de vocês meninos.

Leonardo: Só vim mesmo por causa do convite ser para comemorar essa conquista do Bê, mãe.

Regina: Por favor Léo, vamos esquecer pelo menos nessa noite essas coisas.

Daniel: Vó, cadê o tio Bê e o vovô Sérgio?

Bernardo chega na sala.

Bernardo: Pensei que não fossem aparecer.

Leonardo: Mas viemos meu brother! E ai como estão as coisas na faculdade?

Bernardo: Estão indo bem. O bom é que parte da galera é da minha sala em algumas matérias.

Regina: Filhos vamos sentar na mesa. O Sérgio já esta vindo, está terminando de tomar banho.

Daniel: Eu estou cheio de fome.

Um clima de paz parece reinar sobre a casa. Todos sentam a mesa. Sérgio chega. Porém Sérgio e Leonardo só falam o essencial um com o outro.

Daniel: Oi vovô Sérgio!!!

Leonardo: Boa noite.

Sérgio: Antes de jantarmos em comemoração a essa nova fase na vida do Bernardo, eu gostaria falar com você Leonardo.

Regina: Depois você fala Sérgio. Vamos comer primeiro. A comida vai esfriar e o Dani está com fome.

Leonardo percebe que o que Sérgio tem a falar não é nada para selar a paz entre eles.

Leonardo: Não mãe! Ele pode falar agora. O Daniel espera.

Sérgio: Leonardo, eu quero que você caia fora agora da minha casa agora! Você não é bem-vindo aqui!

Leonardo levanta da mesa num velocidade como se fosse partir pra cima de Sérgio. E com isso, Bernardo e Regina se assustam.

FIM DO CAPÍTULO 03

Curtiu o capítulo? Comente!



Postar um comentário

Copyright © Portal Comenta TV. Designed by OddThemes & SEO Wordpress Themes 2018